domingo, 11 de setembro de 2011

Certas coisas

É isso que quero pra mim. Num domingo a tarde de céu claro, azul límpido com algumas nuvens que enfeitam esse manto azul maravilhoso, poder vestir um vestido leve e colorido, passar um batom cor de cereja e prender meu cabelo em um simples coque e te esperar chegar. Sair a rua de sandálias com você de braço dado, chupando um pirulito que você trouxe especialmente para mim, pois sabia que eu gostava. 
Quero andar alguns quarteirões, levar alguns tropeços, como de costume e tendo você para segurar forte a minha mão toda vez que eu vacilar. Ouvir suas piadas toscas de loira feitas especialmente para me fazer raiva na sua voz que é tão doce, rir de você dizendo que meu rosto de brava é tão lindo. Ir apontando, vez por vez,
casas ou lugares dos quais tenho lembranças ou notícias, fazer comentários soltos que somente eu irei entender e olhar para sua cara de besta de quem não entendeu nada. Chegar finalmente ao nosso destino e perceber que qualquer caminho e qualquer tempo com você passa mais do que depressa.
Entrar na casa de minha vó sem bater na porta como de costume, ter a sua mão bem firme a minha, ver a sua cara de vergonha, suas bochechas acenderem um tom levemente rosa por alguns instantes e não conseguir tirar os olhos de você por alguns segundos, porque secretamente sou apaixonada por aquelas bochechas rosadas. Pedir bença à minha vó, como faço desde os meus poucos anos, em seguida te apresentar à ela, dizendo ser meu namorado e ouvir aquelas duas palavras ecoarem na minha mente e sorrir por dentro. Em seguido ir cumprimentando todos os meus tios e tias e ver a cara deles ao olharem para você, alguns brincando, fazendo hora com sua cara, outros querendo me confessar elogios, dizendo que você é bonito. 
Sentar com você ao meu lado, perguntar se deseja algo, e você ainda acanhado responder que não. Te deixar sozinho por alguns minutos porque alguém me chamou pedindo algo e me sentir péssima por te deixar sequer um segundo sozinho. Ter você ao meu lado, sussurrando algumas palavras bonitas, outras bobeiras, outras vezes comentários maldosos sobre alguém, dizendo ao pé do meu ouvido que queria me agarrar e me dar um beijo de cinema agora, bem ali e dizendo que esta se controlando porque não quer fazer feio para a família da sua futura esposa. Me sentir mole por dentro por ouvir tudo isso. Sentir no peito aquele calor e perceber que aquilo é amor.
E no final da tarde, ir com você até o ponto de ônibus, agradecer pela tarde maravilhosa e te dar um beijo, como todos os outros, só que muito melhor. Te ver ir embora e desejar que você fique, para sempre.


Um comentário:

Filipe disse...

certas coisas passam, certas coisas mudam com o tempo, certas coisas nunca acabam, certas coisas vivem para sempre, certas coisas só o destino sabe como resolver.