quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Poema de amor

E onde enfio tanto rabisco?
Tanto poema, disco
Onde coloco aquela declaração
Que você nem leu?
Onde ponho meus desabafos míseros
Escondo em algum lugar que o achem
Quero deixar exposta essa dor
Esse medo, esse amor
Quem sabe alguém vê e se interessa
E me resgaste, to até imersa
É tanta letra, tanta palavra
Tanto sentimento
E tudo é jogado fora
Fica espalhado aí no chão
Tirando meu ar, meu chão
Tampando minha visão
E cada passo é escorregão
Levo um tombo e caio no chão
"É tudo poema de amor
Sem valor"

2 comentários:

Marcos Baines disse...

"É tudo poema de amor
Sem valor"

um belo final =)

Andrei Vinicius Morais disse...

Oi visitante nova :D
Tudo BEM SIM!
Li seu poema *----*