domingo, 28 de dezembro de 2008

Amor - o verbo

Agora eu amo.

Quando ele se torna real, quando o amor deixa de ser conhecido como somente algo substancial e vira... como o próprio nome diz; verbo! Quando o verbo deixa de ser substantivo e se torna verbo ele se torna mais real, mais vivo, mas é claro, existem as grandes exceções dos adjuntos adverbiais, que podem nos surpreender com as diferenças que eles podem nos fazer na vida, eles podem acelerar, lerdar e até mesmo tornar inexistente o amor, como qualquer outra ação e verbo.

Porém! Como tudo na vida, existem os maldosos e até mesmo bondosos – “Tudo é relativo” – poréns. O amor, sendo verbo, não escapa das conjugações:

Com as conjugações, o amor pode mudar bastante de sentido, que o pode levar a ser praticado sozinho:

Eu amo.

Em grupo:

Nós amamos.

Por ocultos :

Amei.

E até mesmo desconhecidos.

Amaram.

Ele pode também pode mudar de tempo!

Ele pode se tornar passado, deixando a dor da ferida da saudade ou a alegria de um alívio.

Isso tudo é passado! Eu te amei, ouviu? Amei!

Ele pode se tornar futuro nos deixando a ansiedade da espera que, também pode se tornar na dor quando se necessita muito dele.

Agora não dá pra mim, talvez futuramente eu amarei alguém.

E é claro, pode ser presente, nos dando a alegria do momento.

Escute! Nesse exato momento eu te amo! Mais do que tudo!

O amor pode ser tudo e ser nada. O amor, sendo verbo, pode amar.

Porque o amor nos dá a liberdade e vontade de quebrar barreiras. Quando o amor existe, quando o amor se torna verbo, é difícil – para depois não tentarem me contradizer caso diga impossível – encontrar alguém que o derrube. Pois então tornemos o amor verbo; começando a amar.

_______________________________________________________________

O sujeito ainda está por vir! Só que eu tô com preguiça de escrever ele agora porque vou ver Estação Globo e só vim para postar. Adorei esse capítulo. *-*

Meu destino não é de ninguém.

Eu não deixou meus passos no chão.

Capital Inicial - Primeiros erros

Um comentário:

Bulma disse...

Acho que ainda preciso conhecer o verbo amor. Em todos os seus tempos.

Vc anda bem inspirada, não? ^~ algum motivo para isso?