domingo, 17 de agosto de 2008

"Já sei que flores de plástico não vivem"


Como sempre, ouvindo música, Jay Vaquer em especial . Jay Vaquer, embora com nome com aparência estrangeira é um cantor e compositor brasileiro, nascido no Rio de Janeiro. Filho de Jay Anthony Vaquer (guitarrista americano) e da cantora paraense Jane Duboc.
O que chama a atenção nele é o ritmo de sua música que varia de algo animado, meio pro samba às vezes, para algo mais parecido com o MPB, e também sua voz doce, suave e incrivelmente afinada. Não posso deixar de lado que ele também é muito. Não que tenha influído em eu gostar de suas músicas, mas é mais uma característica admirável nele, a sim, ele também é ator, já protagonizou um musical, mas enfim, já falamos de mais dele.
Um dia, meio aérea ouvindo suas músicas minha atenção voltou-se a uma chamada Aquela música.




E, principalmente, uma frase me chamou atenção “Já sei que as flores de plástico não vivem”, que o título do post. O que são flores de plástico? Coisas irreais, falsas, só embelezam, não são verdadeiras, não é mesmo? Elas não vivem, acabam, ou melhor, talvez nunca estiveram vivas, elas não vivem, não é mesmo?
Por isso, procuremos flores verdadeiras, cultivemos nosso jardim, “o tempo é tão pouco”, vamos correr, vamos viver.

2 comentários:

Livre Pub disse...

também estou lendo Vendedor de sonhos. mas se quizermos que flores de plástivos vivam, elas vivem.

"ela acreditava em anjos e por isso eles existiam" Clarice Lispector

Murillo disse...

Gostei muito do blog! Está muito bonito!
Parabéns pela persistencia nas postagens, achei bem legal!
E ah, o artificial existe qdo agente olha, toca, cheira... mas podemos sentir profundamente esse artificial? :)