quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Saltitantes sentimentos pelo meu amor

Meu coração saltita,
Há alguma coisa errada, o que será?
Fui a médicos,
“Nada tem”, disseram.

Fui a psicólogos
“Você ama”, relataram
“Meus pêsames”, complementaram
_Mas... Mas – aos gritos, apavorada fiquei.

O que é amor, sabe me dizer?
Quem é meu amor?
Será você? Aquele homem deitado na esquina?
Repito: O que é amor?

Em dicionário procurei, somente palavras achei,
Porque definir algo abstrato em palavras?
Dicionários, enciclopédias, nada ajudara,
O que é amor?

Já estou bastante louca, estou a gritar
Quando, onde, como amar?
E ponho-me a esperar,
E como dizem “amar”.

Esperei por muito tempo, esperei em vão
Esperei que chegassem, mas acho que não.
Esperei e continuei a esperar,
Orei sem nunca orar.

Busquei deus o qual não acredito,
Fiz promessas que nem sei se consigo,
Dei minha alma, meu espírito
E você? Nem se importou em vir.

A dor voltou a reinar,
Aquele egoísta, sempre retoma ao seu lugar.
Aquele cuja felicidade jogou ao chão, pisoteou e esmagou,
Cuja esperança, sua finada prima, matou e estraçalhou.

Vejo alguém no horizonte,
Lá no fundo, bem distante.
“Será ele?” ponho-me a pensar,
Meu amor, não tarde a chegar.


Nome meio... LOL, nem eu mesma sei porquê eu escolhi ele. Acho que aos pouquinhos meus poemas tão melhorando, ou então eu estou me iludindo cada dia mais! xD

2 comentários:

.[P].a.[R].ente disse...

hahahhahaha...
Ta se iludindo nao, máh. rs
Ta muiito bão, sim!
Cheiro...

Rodrigo Hyoukami disse...

Uma otima poesia...
Que ainda traz trços de tua autoria...
Como as belas sinfonias...
Tambem esta em harmonia...
Mas não te enganas...
Certamente avanças...
Afinal já não és criança...
Já podes ver o que alcança...
Sendo assim esperarei então...
Com boms olhos as que se seguirão...

Fique bem.